Corinthians x Fluminense: juntos na Copa e de volta para casa, Fred e Jô tentam reviver velhos tempos

Não é só a posição e a experiência que Jô, de 33 anos, e Fred, de 37, têm em comum. Ex-companheiros de Seleção, eles foram campeões juntos da Copa das Confederações em 2013, jogaram o Mundial no ano seguinte no Brasil e em 2020 retornaram para os clubes onde são ídolos e coincidentemente compartilham a conquista de dois títulos brasileiros e um estadual.

No Corinthians x Fluminense de quarta-feira, 13 de janeiro, às 21h30 na Neo Química Arena, em São Paulo, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, os dois chegam como líderes de seus times e tentando reviver os velhos tempos de artilheiros. Jô fez mais gols desde que voltou, foram seis, só que oscilou demais na reta final do ano. Por sua vez, Fred marcou metade, apenas três, mas fechou 2020 e começou 2021 em alta.

Jô: início animador e jejum recente

Revelado no Corinthians, Jô foi bicampeão brasileiro com o Timão em 2005 e 2017, quando também ganhou o Paulistão e viveu seu auge. Naquele ano, foi artilheiro com 18 gols e protagonista da conquista nacional, chegando a sonhar com a possibilidade de disputar a Copa do Mundo da Rússia, mas acabou não convocado. Depois de duas temporadas no Japão, retornou no segundo semestre de 2020 para sua terceira passagem no Parque São Jorge, desta vez com a camisa 77.

Mesmo sem ritmo por uma longa inatividade e com uma estreia apressada, o centroavante deixou sua marca logo de cara e atuou bem no início, conseguindo quatro gols em seus sete primeiros jogos, sendo dois na reta final do Paulistão e dois já no Brasileiro. Com a sequência de partidas, porém, Jô passou a sentir o peso dos 33 anos e balançou a rede só mais duas vezes nos últimos 16 duelos.

Fred

Diferentemente de Jô, Fred não foi revelado por seu atual clube, mas foi com o Fluminense que teve sua maior identificação da carreira e onde se sente em casa. Contratado em 2009, ele foi bicampeão brasileiro em 2010 e 2012, ano em que também conquistou o Carioca e viveu seu auge, sendo o artilheiro com 20 gols e protagonista do título nacional. Depois de quatro temporadas em Belo Horizonte, decidiu retornar às Laranjeiras para escrever um último capítulo antes da aposentadoria.

Fonte – Marcelo Braga e Thiago Lima (ge/Rio de Janeiro)

Fotos – Rodrigo Coca (Corinthians) e Lucas Marçon (Fluminense)

Paranavaí 13/01/2021

Compartilhe: