Nossa proposta é resgatar o “Vermelhinho do fim da linha”, disse o investidor Jair

Jair Souza, 52 anos, baiano de Remanso e o paulistano Leonardo Amaral, 26 anos, são os novos investidores do Atlético Clube Paranavaí neste 2020, eles têm como propósito resgatar o Vermelhinho do fim da linha.

Em entrevista ao site avelaresportes.com, Jair falou sobre o projeto.

Jair Souza é um dos investidores

Eu e o Leonardo temos um projeto que estamos há mais de um ano conversando sobre o assunto Paranavaí, pelo fato de conhecer a cidade há muito tempo, morrei muitos anos em Maringá, e conheço a história do ACP. Desde 2000 conheço com relação ao futebol, temos um time de futebol no Maranhão (Balsa, da Segunda Divisão). Acreditamos que já estamos fazendo algo e queremos fazer mais, que é trazer a alegria, aquilo que o ACP fez de bom tempos atrás.

Palavras de Jair
Investidor Leonardo

Ainda sobre o projeto dos investidores da JL Soccer.

Nosso projeto não é emergente, e sim de longo prazo, temos um projeto de reestruturação, e isso não se faz em um ano, nem dois e também em três, nossa proposta é fazer uma recuperação a longo prazo, um projeto coeso, com os pés no chão, sabendo o que está se fazendo, investir como tem que se investir, algo fiscalizado para que possa ter resultado no decorrer do tempo do projeto, e também um projeto de avaliação, o que está dando certo e o que está dando errado, esse nosso projeto, é o de um resgate de verdade, por conta da qualidade dos atletas da região de Paranavaí.

Continuou Jair

O Atlético Clube Paranavaí tinha uma divida junto ao Federação Paranaense e CBF em torno de R$ 64.000,00, os investidores quitaram parte, restam pagar duas parcelas de R$ 6.594,00 à Federação.

PORQUE PARANAVAÍ?

Queremos fazer aqui uma “Central de Preparação de Atletas”, temos bons atletas em nossa equipe no Maranhão, no Balsa, mas lá não tem a mesma visibilidade daqui, em contexto nacional você não pode pegar um atleta de lá e colocar para disputar o Paranaense, aqui é outra qualidade, outra forma de trabalho, nosso projeto é para a preparação destes atletas, e também prepara-los para o mercado.

Disse Jair Souza
Carvalho, Beto, Léo e Jair, no setor coberto do WW que passa por reformas

CUSTO DA TEMPORADA

A previsão de gastarmos R$ 170 mil por temporada, que deve durar três meses. Teremos um plantel barato, mas com qualidade, nosso projeto é fazer um trabalho enxuto, fazer com atletas pratas da casa que gostem de vestir a camisa do time da cidade. Cerca de 70 a 80% com atletas que moram aqui, ai não teremos custos com moradia, desnecessários para o momento de recomeço, para não criarmos situações que já foram criadas, não é a nossa proposta. Não vamos errar, onde erraram, queremos fazer um trabalho organizado, por isso convidamos o Secretário de Esportes, Rafael de Souza para ser nosso técnico, um cara que entende muito sobre o futebol, tem grande conhecimento na área fisiológica como doutor da área. Aqui tem tantos atletas bons, porque não os inserir no time.

Falou o baiano Jair

CONTRATO COM INVESTIDOR ANTERIOR

Estamos trabalhando dentro de uma questão jurídica de direito, temos um corpo jurídico que está cuidando dessa situação, e por conta disso estamos com segurança, não estamos preocupados, estamos fazendo as coisas corretas, dentro da legalidade, sem que traga prejuízos lá na frente para a gente. Se tivéssemos, não teríamos investindo no momento o que já investimos, então seria loucura de nossa parte, investir em uma coisa que vai dar errado e que vamos perder, não é bem por aí, fazermos algo de certa forma insegura, um investimento sem garantia de nada, essa preocupação até então não estamos tendo, porque estamos acreditando no que foi fechado, temos muito mais garantia e segurança com relação o que foi feito, porque juridicamente estamos respaldados.

Explicou Jair
Setor deverá continuar deserto por conta da Covid-19

A dupla da empresa JL Soccer, disse que não está contando com a presença da torcida no Estádio, por conta da pandemia, se pudesse contar seria bom para todos.

Estamos aqui para fazer um trabalho sério e coeso, estamos abertos a quem queira nos ajudar, estamos em um momento de parceria. Qualquer empresa que quiser vir com a gente e construir esse novo ACP, estamos a disposição para abraçar essa causa, que não é só nossa, tem muita gente apaixonada pelo ACP em Paranavaí. Se tiver algum patrocínio master interessado, é bem-vindo, vamos sentar e conversar.

Ressaltou Jair

Faz parte também da coordenação Alberto Nunes da Silva, 37 anos, de São Paulo. Beto cuida da parte de mercado de atletas, com avaliações para a empresa JL Soccer.

Beto faz parte da empresa JL Soccer

FRASE

A frase Vermelhinho do fim da linha surgiu, por ser na época o ACP o último clube de futebol profissional na região Noroeste do Estado, deixou saudades de sua época de ouro, quando era praticamente imbatível em seus domínios. Fundado em 14 de março de 1946, passou a maior parte de sua história na Segunda Divisão Estadual.
Quando disputou campeonatos, a equipe foi campeã da Segunda Divisão em 1967, 1983 1992, vice em 2003 e campeã em 2007.

O Atlético Clube Paranavaí desfruta de um dos principais patrimônios no interior do Estado, o Estádio Dr. Waldemiro Wagner com capacidade para 25 mil pessoas. A arquitetura do estádio é uma réplica do Coliseum, de Los Angeles, e foi inaugurado pela Seleção Brasileira, em 1992, quando o Brasil derrotou a Costa Rica por 4×2.

Entrada principal do Estádio Dr. Waldemiro Wagner

Na foto em destaque, Beto, Carvalho, Jair e Léo

Paranavaí 11/07/2020

Compartilhe: