Renato, militar da Força Nacional quer escrever livro, concluir maquete e Museu do ACP

Apaixonado pelo Atlético Clube Paranavaí, o 2º sargento da Força Nacional, paranavaiense de 38 anos, Renato Ferraz Ávila, segue com a intenção de escrever um livro sobre o time, concluir uma maquete do Estádio Natal Francisco (toda em madeira como era) e o Museu Esportivo do “Vermelhinho do fim da linha”.

Renato mora em São José dos Pinhais, mas passa boa parte do tempo em ação pela Força Nacional. Ele começou em Curitiba (20º BIB) e há 4 anos integra a Força Nacional, participou de várias missões pelo Brasil, como no Rio de Janeiro, Brasília, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, Pará, Acre, Sergipe e em outros estados.

A Força Nacional é intermediária entre o Exército e a Polícia Militar. Onde a Polícia tem dificuldade em agir (como presídios, desmatamentos, garimpos, rondas ostensivas, desastres naturais, entre outros), convoca a Força Nacional. A convocação da Força é através de pacto federativo, sobre coordenação do Ministério da Justiça.

Quando estive no Exército em Curitiba, ganhei muito material e com o que meu pai juntou me possibilitou em começar a escrever o livro sobre o ACP. Tive a oportunidade de ter o Mauricio Batista (árbitro da FPF) como amigo, ele me ajudou no acesso aos boletins, súmulas e livros sobre os Campeonatos Paranaenses e Nacional de Futebol, que o clube disputou, e então comecei a escrever. Nosso ACP começou profissionalmente em 1960, antes é difícil conseguir ter dados, ainda não tem um livro com as anotações que preciso para concluir, desde sua fundação o Vermelhinho tinha um livro (Atas), que constava um pouco da história do clube, mas acabou desaparecendo, após a perca do patrimônio no final da década de 70. Mas estou pesquisando. Estou fazendo atualmente a relação dos técnicos que aqui passaram, até 1980 foram quase 80, alguns ficaram por uma semana apenas, e antigamente muitos atletas viraram técnicos”. Contou Renato.

Outro objetivo de Renato e seu irmão Rafael (são gêmeos) é o Museu do Atlético Clube Paranavaí, também em fase adiantada, ideia de seu pai José Ferraz Ávila (faleceu em 2011), que guardava jornais, camisas, ingressos, etc. Foi o pai que ensinou os irmãos a gostar do ACP.

A primeira coisa que meu pai guardou e nos deu para cuidar, foi o ingresso do jogo da inauguração do Estádio Dr. Waldemiro Wagner em 1992, e também o folder, de Brasil e Costa Rica. O arquivo está aumentando dia após dia, temos atualmente quase mil itens catalogados”.

Falou Renato

Quando Renato começou a estudar o ACP, o grande problema é que não tem nada anotado, quem foram os atletas que mais atuaram, o técnico que mais tempo aqui ficou, quantos títulos o time já conquistou, desde Campeonatos Amadores, Torneios, esse resgate ele tem tenho calmamente por anos.

ACP/TERCEIRA DIVISÃO

O descenso para a Terceira Divisão não devia ter acontecido, mas infelizmente aconteceu. Aqui sabemos que tudo é complicado, tudo é feito em cima da hora, isso não é de agora, vem de muito tempo atrás. Mas vamos torcer que subamos neste ano, depois fazer um bom planejamento e voltar para a Primeira Divisão, e almejar uma Copa do Brasil e um Brasileiro da Série D, quem sabe”.

Disse o 2º Sargento Renato
Paciência é o que não falta para os irmãos

ESPAÇO/MUSEU

Renato e Rafael estão atrás de um espaço e atrás de recursos para fazer o Museu tornar realidade.

Aqui é complicado, tem cidades que ajudam. Estamos catalogando os itens para expor de forma correta. Estamos a procura de patrocinadores e fazer vaquinha virtual, para a arrecadação de dinheiro para registrar o Museu, se quisermos ajuda e contribuição, temos que ter um CNPJ. Queremos fazer tudo de forma transparente, quem sabe mais para a frente possamos fazer uma parceria com o ACP, estamos montando o Museu para uso dos torcedores do ACP. A ideia continua em pé, mesmo diante das adversidades encontradas vamos terminar, o ACP merece”.

Esclareceu Renato

SALA

A intenção inicial de Renato e Rafael era sugerir a instalação do Museu do ACP em uma área da arquibancada coberta onde tem um banheiro desativado no Estádio WW. O Museu seria de dois andares, com o nível de baixo com uma loja de artigos esportivos do clube como camisetas, bonés, chaveiros, etc, e a entrada do Museu no nível superior, continuação do Museu, sendo que colocaria um vidro transparente com visão panorâmica do Estádio. O torcedor faria um tour pelo Estádio, pelos vestiários, cabine de Rádio e TV, sala de imprensa, administração, o clube merece, afinal são 74 anos de história, e conhecido nacionalmente.

TORCIDA

Os irmãos foram uns dos fundadores da Torcida Organizada “Caldeirão Atleticano” que tem uns 20 anos. Renato vê de forma positiva o surgimento de uma nova torcida organizada para incentivar o ACP, mas não tão necessária, pois pode haver intrigas, e isso segundo ele não é bom. Quando surgiu a Caldeirão, Paranavaí tinha três torcidas organizadas.

Caldeirão Atleticano é uma das torcidas organizadas do ACP

ESTÁDIO/MELHORIAS

A administração municipal através do prefeito KIQ, está procedendo melhorias no Estádio Dr. Waldemiro Wagner, como recuperação do gramado, vestiários, sala de imprensa, secretaria, cadeiras e pintura geral interna e externa, que está deixando o local com um excelente visual.

Está ficando bonito, nada mais justo, pois o nosso Estádio Waldemiro Wagner é um cartão postal da cidade e queremos que o ACP seja referência no Estado. E que nosso Estádio continue sendo ponto turístico de Paranavaí”.

Finalizou o acepeano Renato
Trilhos que sustentavam o alambrado do Natal Francisco, hoje estão no Sumaré

Os irmãos estão construindo uma maquete de madeira, do antigo Estádio Natal Francisco (era de madeira mesmo), que era onde hoje está localizada a Praça dos Pioneiros. No inesquecível Estádio Natal Francisco o alambrado era preso em trilhos de estrada de ferro. Os trilhos foram levados para o Estádio Alfredo Ferrari, no Distrito de Sumaré, que no início chamava Natal Francisco.

Renato e Rafael, dedicação e amor pelo ACP na construção da maquete

Na foto em destaque, Renato com a maquete do Estádio Natal Francisco.

Paranavaí 06/09/2020

Compartilhe: