Casal pratica pedestrianismo há “30 anos”

Em Paranavaí o casal de comerciantes Hélio Genivaldo da Silva, 54 anos, natural de Tamboara e Anelise Capel, 48 anos, nascida em Paranavaí, praticam o pedestrianismo desde quando casaram há 30 anos.

Dias atrás o casal foi estava retornando de suas tradicionais caminhadas com um cajado, quando foram abordados pelo site avelaresportes.com. para um posterior bate papo.

A caminhada está na nossa vida há muito tempo, é um complemento da pratica esportiva que gostamos de fazer, que é a corrida de rua e de montanha. A caminhada ela vem para fazer uma regeneração da atividade física que a gente faz durante a semana. Quanto ao cajado, ele dá muito apoio, principalmente nas subidas, e em lugares com pastagens e matos, ajuda a afastar bichos e insetos”.

Falou Hélio
Março de 2018 no Cânion do Itaimbezinho (Cambará do Sul)

Hélio, proprietário da empresa Hélio Aquários, disse que Paranavaí em seus arredores oferece várias opções de trilhas. Citou alguns locais, como no fundo da Revest e termina no Jardim Ipê, outra trilha é do Ipê em direção ao Bosque Municipal, outra perto do Senac, tem a do Jardim Oásis, onde tem uma cachoeira com água limpa. O município precisa trazer esta orientação à população, para que as famílias possam caminhar e conhecer melhor este lado de Paranavaí. Hélio elogiou a empresa de Jairo Venâncio, a Venâncio´s Eventos que tem realizado várias trilhas com grupos de pessoas.

Aos domingos para relaxar andamos em média 20 km, e durante a semana fazemos corrida em uma média de 8 a 10 km. No sábado descansamos. Tenho sempre ao meu lado a esposa, parceira e companheira nas caminhadas”.

Continuou o comerciante

Hélio comentou que participaram de duas corridas São Silvestre (2009 e 2013), participaram também da Meia Maratona do Rio de Janeiro, além de outras dezenas de provas importantes. Com a pandemia as provas pararam.

No nosso caso tiramos o foco de competição, e sim realizar corridas de rua. É gostoso fazer atividade física no seu dia a dia, para você ter saúde, é bom para seu organismo responder melhor quando você estiver com uma doença. Até o próprio Covid, já mostrou que uma pessoa que faz atividades físicas mais constante, tem uma boa alimentação, toma sol, pega uma gripe, pega, mas a recuperação é mais rápida”.

Disse Hélio

O casal não integra equipes, mas enaltece o trabalho que a Acorrenor realiza em Paranavaí.

Não temos prazo de vencimento, aqui é sem prazo. Envelhecer é fato, nós estamos envelhecendo graças a Deus. Como você vai envelhecer você irá escolher, o jeito, se você quer chegar a fase geriátrica com problemas, todos nós chegaremos. Temos hoje muitos casos de diabetes, artrites, artroses, tem como as vezes você evitar, mas se desde cedo você plantar uma sementinha, uma caminhada leve de meia hora por dia, você fazendo isso com o tempo você irá colher os frutos e chegar a velhice com qualidade de vida, e isso é importante. Essa é a lição que estamos aprendendo com os idosos.

Explicou o pedestrianista

Hélio citou o exemplo de um atleta idos de Londrina (Fukushima), deve ter uns oitenta anos e sempre participava antes da pandemia de provas pedestres em Paranavaí. Hélio quer chegar a essa idade igual a ele, e com essa disposição de disputa.

Trilha do Rio do Boi

Se o casal corria em dias de chuvas, Hélio respondeu que a chuva não atrapalha as caminhadas, não pode é estar caindo raios, é só ter força de vontade.

Começamos a caminhar há 30 anos, desde que casamos, a esposa é quem me colocou na linha, eu pesava 105 quilos, hoje peso 72 quilos. Um conselho para quem está com vontade de caminhar, a princípio uma atividade física é importante, tem que por isso em sua vida, isso é fato e notório, faça pouco, mas sempre faça, e de preferência procure a orientação de um profissional na área”.

Detalhou Hélio

Hélio falou que nunca foram atletas profissionais, quando resolveram participar de eventos profissionais tinham que fazer mais treinos, só que no dia a dia de comerciante, a reposição de descanso não era a adequada e viviam tendo lesões.

A pandemia veio mostrar para a gente que se fizermos menos, faremos mais bem feito, aí vimos que o menos é mais, começamos a fazer menos, mas com mais qualidade e automaticamente essa qualidade não nos trouxe mais lesões”.

Finalizou Hélio Genivaldo

A dupla tem mais de 30 troféus e mais de 200 medalhas.

Paranavaí 05/12/2021

Compartilhe: