Dorival Torrente, 35 anos de ideias em eventos pelo Sesc em Paranavaí

O sexagenário Dorival Ferreira Torrente, nascido em São Carlos do Ivaí, trabalhou por 35 anos no Sesc de Paranavaí, foi dele a criação de inúmeros eventos esportivos e culturais realizados, sempre com o apoio irrestrito do diretor Ubiratan Ângelo Fernandes (Bira).

Torrente (64 anos) disse que era fraco no futebol, mas orgulha-se de ter disputado o 1º Campeonato Dente de Leite de Futebol de Paranavaí, realizado em 1970, com abertura no Estádio Natal Francisco. Era lateral esquerdo do time Demafra.

O pai de Dorival tinha no Jardim São Jorge, a Serralheria Torrente, e lá ele fez várias esculturas de metal.

Participei de vários salões paranaense de exposições sobre esculturas de sucatas, como artesão até 1979”.

Falou Dorival

Em 1980, ele entrou no Sesc, e após muita dedicação ao trabalho aposentou em 2015.

Como técnico, Torrente lançou a disputa do Vôlei de Rua, na epoca o setor de esportes do Sesc tinha o prof. Paulo Franzine, que achou interessante e aconteceu. Os jogos eram em frente o Banco do Brasil (1982), a disputa foi por uns 12 anos. Paranavaí respirava a modalidade, acabava o Vôlei de Rua e começava o Civom, com apoio do Mário Ohe, Amaral, Takamori e outros simpatizantes da modalidade.

Em 1981

Idealizei a Festa dos Motoristas, no Jardim São Jorge, até então Paranavaí não tinha evento dessa natureza, o Bira me deu carta branca, e eu fui falar com o pessoal ligado aos movimentos da igreja católica, organizamos duas festas e até hoje acontece (este ano seria a 40ª edição), foi uma semente que está até hoje”.

Explicou Dorival Torrente
Festa dos Motoristas em 1981, Dom Benjamin

Outro evento diferente que Torrente organizou na década de 80, e deu uma gigantesca repercussão até nacional.

A Corrida de Carroças, teve grande repercussão, tanto que o Esporte Espetacular divulgou. A equipe da TV Cultura/Globo/Maringá veio até Paranavaí e fez a matéria. No mesmo domingo teve Fórmula 1 com corrida na Suíça, no outro domingo teve a comparação do Airton Senna no carro e o carroceiro na carroça, o Senna chutando o pneu do carro e aqui o carroceiro chutando o pneu da carroça, foi espetacular a matéria, recebi várias ligações perguntando os detalhes e informações como tínhamos feito”.

Detalhou o ex-técnico de atividades do Sesc de Paranavaí

A Corrida Pedestre Noturna, foi disputada por mais de 15 anos, o Sesc realizou a chamada Corrida Dia do Atleta, com participação de mais de 500 inscritos de vários estados (SP, SC, MS, PR), também com sucesso. E por mais de 10 anos, em março teve na cidade a Corrida Dia da Mulher (a atleta Maria Madeira venceu várias vezes). Outro evento de Torrente foi os Jogos dos Profissionais Liberais por mais de 15 anos disputados em Paranavaí.

Corrida Dia do Garcon em agosto de 1987, criação de Torrente

CARNAVAL/ALEGRIA DO POVÃO

O Carnaval de Rua de Paranavaí, tinha as Escolas do Biga (Chico Venâncio) e a Binidita, aí formamos o Bloco dos Sujos, levando para a avenida a alegria e irreverência, a gente coordenava o desfile com muito carinho, amor e respeito à comunidade. Teve um ponto que as Escolas e um Bloco dos Bancários pararam, e nós continuamos por mais uns três anos, só o Bloco dos Sujos saia e conseguia levar quase 10 mil pessoas às ruas de nossa cidade”.

Comentou Torrente
Bloco dos Sujos

DIA DE REIS

Torrente também lembrou da festa dos Reis Magos/Dia de Reis que ele criou.

O Festival de Folias de Reis, que até hoje acontece. A primeira foi no Ginásio Noroestão acho que 1981, depois em outros locais. Esse ano (2020) seria na Paróquia São Paulo, no Jardim Alvorada, mas a pandemia da Covid-19 impediu. Fico feliz com essa modesta contribuição de ideia do nosso folclore”.

Contou Torrente
Folia de Reis

ÁREA CULTURAL

Em 1973, participei do meu primeiro Femup no Ginásio Noroestão, como interprete de uma música dos amigos Beckauser e Manoel Caetano, depois participei como compositor, ganhei vários prêmios. Marcante foi que eu fazia teatro desde 1977 e não era convidado para declamar poesia no Femup. Também em 1977 o poeta Wilson Monteiro (Londrina) classificou um poema e através do Ivo Cardoso (Folha de Londrina) ele mandou pelo malote uma carta para me localizar, e declamar o poema dele chamado Bar (fala da repressão e do AI 5) eu declamei e venci. Depois ganhei o Festival até 1979”.

Narrou o compositor e declamador Torrente

PAULINHO BEM BEM

Comecei no TEP em 1973 com o querido, amado e inesquecível Paulinho (Bem Bem). Junto com o Valezzi, participamos do Femup pelo TEP. Em 1977, o Paulinho teve a ideia de criar o Grupo Gralha Azul (Paulinho, Torrente, Zé Cambé e Valezzi), depois veio o Preto, Miguel Bruning, Mauro de Vitro, Juca e outros”.

Lembrou Dorival
Grupo Gralha Azul

SOBRE O AMIGO QUE MORREU EM 2018

O Paulo César Oliveira era uma pessoa diferenciada que jamais será esquecida na cidade. Quando ele morreu (22/08/2018), nós pensamos em parar com o Gralha Azul, pois parecia que não tinha sentido sem ele, fizemos boas reflexões e entendemos que, de onde ele estiver, ele está feliz com a continuidade. Fizemos um show de lançamento de um CD, e vamos continuar, se Deus quiser o Grupo Gralha Azul será imortal igual ao Paulinho”.

Confessou o amigo Dorival

Aposentado há 5 anos, Dorival tem feito algumas atividades voluntárias, e declamado poesias, o que ele gosta muito de fazer.

No Carnaval de Rua

A Fundação Cultural de Paranavaí foi fundada em 1987, época do prefeito Pinto Dias, por lei do presidente José Sarney. Dorival foi o primeiro secretário administrativo do presidente José Carlos Beckauser. Depois na administração do prefeito José Augusto Felipe ele foi presidente. Disse que hoje tem o prazer em ver o sobrinho Rafael Torrente como presidente da Fundação Cultural.

Apresentação para a TV na Praça dos Pioneiros

Outra lembrança de ideias de Dorival, foi o Festival de Conjuntos Musicais de Paranavaí, na década de 80 ou antes, o pessoal respeitava muito a quaresma, e aqui era a cidade com mais conjuntos musicais do interior paranaense. Então sem bailes e eventos, os conjuntos ficavam de férias.

Criei e lancei o Festival de Música de Conjuntos Musicais, onde chegavam a participar uns 12 conjuntos, não era competição, era uma amostra, onde quase 10 mil pessoas iam em frente à Prefeitura, depois na Praça dos Pioneiros para assistir, marcou época. Vale ressaltar que o falecido Cidão, da dupla Cleiton & Cidão, eles tinham o conjunto Jet Som Brasil, e o próprio Cebola (Durval) colaboraram muito mesmo para a realização dos Festivais”.

Finalizou Dorival Torrente

Paranavaí 23/08/2020

Compartilhe: