COM 37 ANOS DE PEDESTRIANISMO, MARIA AMADEU COLECIONA MAIS DE 200 TROFÉUS

A altoparanaense Maria Aparecida Amadeu Takaiama, tem 53 anos, 37 são dedicados ao pedestrianismo, que pratica desde os 16 anos, ela disse que participou de mais de 250 provas, sua galeria está recheada com mais de 200 premiações entre medalhas e troféus.

Maria Amadeu como é chamada nos meios da modalidade praticava corrida de pista, atualmente só corre em corridas de rua, onde integra a equipe Acorrenor na categoria Veterana (acima de 50 anos). Tem participado de provas de 5 km a 42.195 metros (maratona). Cidades onde ela competiu: Paranavaí, Curitiba, Foz do Iguaçu, Tibagi, Cascavel, Teodoro Sampaio e São Paulo.

“Há aquelas em que fui premiada e aquelas que mesmo não sendo, me marcaram muito. A primeira foi a Corrida São Silvestre (em 1994), em que realizei meu sonho de participar, pois sempre acompanhava pela TV. Acho que é difícil achar um corredor que não tenha vontade de participar ao menos uma vez da mais famosa prova pedestre do Brasil. Entre as 1.500 mulheres que estavam participando, fiquei em 118º lugar”.

Em Matinhos

Outra prova marcante para Maria Amadeu foi em novembro de 2018 em Curitiba. “Não tinha ambição de um dia participar de um trajeto longo como esse e nem pensava que poderia conseguir completa-la, mas meus amigos, também corredores, me incentivaram. Segundo eles, seria uma experiência única de superação que todo corredor deveria enfrentar. Após muitos treinos longos, tomei coragem e enfrentei. Foi uma das provas mais difíceis que já corri, mas senti-me realizada e surpreendida ao superar meus limites. Mesmo tendo ganhado uma medalha participativa, a essência da vitória estava em dizer eu consegui cruzar a linha de chegada”.

Maria também disputou provas em 1996 na minimaratona Sesc em Matinhos, ficou em segundo lugar (recebeu um certificado), em 2018 em Toledo ficou em 2º lugar na meia maratona (21 km), em Tibagi (canion) no final de 2019, também no mesmo ano foi campeã em Curitiba. Segundo ela foi uma das grandes vitórias na distância em que gosta de correr, que são os 5 km. “Fiquei feliz pelo meu tempo e me motivei a treinar mais para melhorar meu desempenho, pois havia muitas corredoras velozes”.

Pratico o pedestrianismo primeiramente porque sou apaixonada pela corrida e tenho uma enorme felicidade ao correr. A saúde da prática desse esporte veio como um presente extra para mim, porque sempre gostei de me exercitar. Sinto-me especialmente livre correndo! “Correr não transforma apenas seu corpo, correr transforma sua vida” é uma frase que para mim tem um significado muito verdadeiro do que é correr. 

Disse Maria Amadeu
Em prova
Compartilhe: